01/05/2017

Cozinha Lugar Sagrado





Oi gente. Passei a tarde e boa parte da noite desse sábado na cozinha, e o melhor de tudo: com muito prazer! Cozinha é lugar sagrado aqui em casa, todo mundo mora nela longas horas. Eu amo cozinhar, cresci no meio de receitas e fazeres da minha mãe (a melhor cozinheira do mundo). Acho que só a arte vem antes do cozinhar entre as coisas que amo fazer como ofício-amor. Fiz de tudo: almoço, lanche, bolo, conservas, fiz granola, barrinha de cereais com a granola, fiz leite de coco, farinha de coco, organizei os grãos, os cereais, fiz café, fiz pães, fiz janta, ouvia a bagunça que foi o sábado por aqui, as crianças envolvidas com o primo-amigo-amor e com o pai, teve show de rock, acampamento, bronca, amor, risada, desenho, cantoria, dança, bronca e amor de novo. Eles entravam e saiam da cozinha, brincavam por lá, iam pra fora, corriam e chamavam: manheeee, fui umas duas vezes. Corri com eles e com a cachorrada-amor. O sábado passou, sem perfeição e facilidades, tudo é luta diária, tudo são conquistas, sem grandes eventos, um frio bem frio mas com um sol bem lindo, alguns conflitos, mas a paz e o amor prevaleceram. Eles (pai, filha e primo) limparam tudo.

Pelo instagram, muitas pessoas me pediram as receitas, vou colocar todas elas aqui, mas um pouco por vez, tá bom?!


As escolhidas de hoje são feitas com coco (fruta que não deixo faltar aqui em casa): leite de coco, coco ralado e farinha de coco, tudo em um só processo, essa receita muda a vida da gente, acreditem! Saudável, sem açúcar ou conservantes, e muito mais em conta do que se pagaria num mercado.

Eu AMO coco, além de ser um alimento super saudável, o coco é muito rico em duas gorduras: o ácido láurico e o monolauril. Essas gorduras são de rápida digestão, ao contrário de outras, não ficam depositadas nas células, e servem de combustível para o nosso organismo gerando energia. 

Leite de coco: quebrar um coco seco com uma martelo ou jogando-o no chão enrolado num pano, tirar toda a polpa (a parte mais difícil), deixar os pedaços de molho em água morna por cinco minutos (700 ml de água se o coco for de tamanho grande e 500 ml se o coco for de tamanho médio para pequeno), depois liquidificar por uns 3 minutos. Coar todo o líquido, eu prefiro fazer isso num saco de algodão cru, mas pode ser feito em um coador. Depois de bem escorrido, pode-se armazenar na geladeira por quatro dias, dá pra consumir como um leite delicioso e sem lactose ou em receitas que você queira. Pode ser congelado se desejar, por aqui nunca da tempo de fazer isso.







A polpa que sobra pode ser usada em inúmeras receitas, assim como o coco ralado que se compra no mercado, só que com a vantagem de ser fresco, natural, sem adição de nenhum outro ingrediente químico ou manipulado, é alimento vivo!
Já fiz biscoitos, recheios de bolo, docinhos, farofa, bolo, vitaminas e...






... farinha de coco pra usar em tudo: bolos, pães, doces, biscoitos, panquecas, comer com frutas, com iogurte e tudo o que você puder imaginar. Super simples gente, é só colocar essa polpa numa frigideira ou panela grande e mexer por uns vinte minutos, deixar esfriar e armazenar, ela dura uns três meses fora da geladeira. Eu gosto de usá-la mais grossa, mas depois do processos de cozinhá-la pode-se triturá-la no processador ou no liquidificador, deixando-a na textura que quiser. A minha ficou assim, nessa foto coloquei-a dentro da casca do coco e servi na mesa com iogurte, achei que ficou linda.
E tem mais, as cascas depois podem virar brinquedos e instrumentos musicais!!

Ó só que maravilha tudo isso, com uma coco que em média custa quatro a cinco reais a gente faz tudo isso, a farinha de coco no mercado é bem cara e não podemos jurar sem cruzar os dedos se ela realmente é pura, já a que fazemos em casa temos certeza de sua pureza e mais que isso, ela carrega a etiqueta de: EU, VOCÊ, NÓS FIZEMOS. 






Eu uso verduras, frutas, legumes, grãos e outros produtos orgânicos, mas isso não é regra e nem obrigação de ninguém, escrevo por que acho importante a gente refletir sobre uma fala que tem se tornado habitual entre algumas pessoas influentes nas: "só orgânico pessoal". Vi na semana passada um vídeo em que aparecia uma menina comendo um chocolate, a mãe filmava e comentava: "por favor gente, o chocolate é orgânico, se for para dar chocolate para as crianças, só orgânico, por favor gente". Eu repito parte da fala: POR FAVOR GENTE, sabe quanto custa uma barra de 120 g de chocolate orgânico, aqui não sai por menos de 19 reais, um chocolate amargo e com uma boa porcentagem de cacau custa bem menos que isso e talvez seja ainda mais saudável. Consumir orgânicos é super bacana, mas dá para priorizar de maneira SÁBIA o que realmente vale a pena ser consumido na rede dos orgânicos, nãos podemos nos deixar levar por um movimento que elitiza a alimentação, os orgânicos são sem dúvida uma ótima opção, mas nem tudo precisa ser orgânico, ou ainda: nem tudo PODE ser orgânico para a maioria da população devido ao seu valor. Por aqui fazemos a lei da compensação, compramos orgânicos, por outro lado não gastamos em um monte de outras coisas que achamos supérfluo, mas é uma escolha nossa e não cabe a nós queremos que todos pensem como a gente! No mais: a vida segue e tem muitos caminhos para se encontrar uma alimentação saudável, afetiva e feliz. 


Sinto saudade de blogar mais, escrever aqui me fortalece, me inspira, vou tentar estar mais presente.

Abraço meu.

Um comentário :

  1. Que bom saber do teu sábado cheio de farra, bagunças, criançada, cachorro, broncas e alegria e no meio disso tudo, cozinha com amor! Adorei tuas dicas aqui e sempre gosto de te ler e ver o que aprontas e por lá com eles. Lindo! bjs, tudo de bom,ótimo MAIO! chica

    ResponderExcluir

Pin It button on image hover