Arejando a Alma

Adoro este texto, estes dias relendo minhas revistas o reencontrei. Acredito que uma faxina dessas renove a alma, DESINTOXICA a vida, nos permite ficar mais leves. Se livrar do ranso, do mofo, e do excesso, faz um bem danado.
Sempre RESPEITANDO nossos desejos, nossos valores e nossas lembranças.
Há muitas coisas em nossa vida que simbolizam alguém que amamos, ou uma lembrança que queremos eternizar em um objeto, isso deve ser preservado, desde que nos faça bem. Agora, tudo aquilo que nos confunde, nos impede de abrir a porta para novos ares, novos aromas, novos gostos, deve ir embora. Isso não significa desdém, falta de respeito ou falta de amor.
Quero lhes contar uma coisa, da qual hoje falo com tranquilidade, paz e com uma "saudade feliz".
Há quase 4 anos perdemos um filho, quando eu estava com dois meses e meio de gravidez, pois bem se passaram mais de dois anos pra que eu colocasse fora exames, ecos e tudo mais, antes de tomar esta decisão, a mim parecia que estaria desrespeitando o amor que sentimos por aquele filho. Mas não, o amor se guarda em outro lugar, aquilo tudo nos fazia mal, nos travava, nos entristecia.
Um dia coloquei tudo fora, e ali, abri portas e janelas para as surpresas que a vida nos reservava.




Toxinas Da Casa

Diz dona Francisca, minha secretária, que acaba de chegar:
Antes de dar uma geral na casa, deixa eu te dar um abraço que preste! E ela me apertou.
Na matemática de dona Francisca, quatro abraços por dia dão para sobreviver; oito ajudam a nos manter vivos; 12 fazem a vida prosperar.
Falando nisso, vida nenhuma prospera se estiver pesada e intoxicada.
Já ouviu falar em toxinas da casa?
São elas:
- objetos que você não usa,
- roupas que você não gosta ou não usa há um ano,
- coisas quebradas, lascadas ou rachadas,
- plantas mortas ou doentes,
- recibos/jornais/revistas, antigos,
- remédios vencidos,
- meias velhas, furadas,
- sapatos estragados...
Ufa, que peso!
O que está fora está dentro e isso afeta a saúde, aprendi com dona Francisca.
Ela diz, enquanto me ajuda liberar as tralhas da casa...
O “destralhamento é a forma mais rápida de transformar a vida e ajudar as outras eventuais terapias.
Com o destralhamento:
- A saúde melhora;
- A criatividade cresce;
- Os relacionamentos se aprimoram...
É comum se sentir cansado, deprimido, desanimado, em um ambiente cheio de entulho, pois existem fios invisíveis que nos ligam à tudo aquilo que possuímos.
Outros possíveis efeitos do "acúmulo e da bagunça": sentir-se desorganizado; fracassado; limitado; aumento de peso; apegado ao passado...
No porão e no sótão, as tralhas viram sobrecarga;
Na entrada, restringem o fluxo da vida;
Empilhadas no chão, nos puxam para baixo;
Acima de nós, são dores de cabeça;
Sob a cama, poluem o sono.
Perguntinhas úteis na hora de destralhar-se:
Por que estou guardando isso?
Será que tem a ver comigo?
O que vou sentir ao liberar isto?
....e vá fazendo pilhas separadas...
Para doar!
Para jogar fora!
Para mandar embora!
Para destralhar mais:
Livre-se de barulhos, das luzes fortes,  dos odores químicos, e também...
- libere mágoas,
- pare de fumar,
- diminua o uso da carne,
- termine projetos inacabados.
Acumular nos dá a sensação de permanência, apesar de a vida ser impermanente, diz a sabedoria oriental.
(...) Dona Francisca me conta que as frutas nascem azedas e no pé, vão ficando docinhas com o tempo.
A gente deveria de ser assim, ela diz:
“Destralhar” ajuda a adocicar. Se os sábios concordam, quem sou eu para discordar?

Carlos Solano

Quanto a mim, tento todos os dias, nem sempre é fácil. Tente:
Liberte-se dos sentimentos negativos, da raiva, do medo, do desamor, do não saber perdoar, dos olhos tortos com que vemos as coisas, LIBERTE-SE do que você não acredita. Livre-se de pessoas que só alimentam desafetos.
Escute sua música preferida bem alto, dance (mesmo que sozinho), brinque feito criança e AME sem medo, se entregue a vida!
Aproxime-se do simples, do calor humano, da NATUREZA e do natural!

Um beijo com afeto!