A Origem Das Coisas # A SEMANA





Sei que as postagens que cabem na postagem da Semana da Fernanda Reali, falam de fatos acontecidos durante a mesma. O tema que quero abordar tem me "afetado" há tempos, e esta semana ainda mais, então posso dizer que ele foi sim um acontecimento marcante.
Tenho me perguntado muito sobre a origens das coisas, ou seja, de onde vem tanto ódio, tanto preconceito. De onde vem essa incontinência verbal? Deliberadamente se acusam as pessoas por sua raça, credo, opção sexual, opção política...

Me questiono onde foi que se aprendeu a ser assim, em que parte da vida isso se deu. 
Então volto ao assunto EDUCAÇÃO, principalmente aquela dada em casa, recebida de quem nos cria. E não falo somente da cognitiva ou cultural, me refiro e quero mergulhar na EDUCAÇÃO AFETIVA, naquela em que ensinamos nossos filhos a ter respeito e empatia pelo outro, independente de suas escolhas e de sua origem.
O mundo está cheio de crianças que sabem falar mais de uma língua, entendem de informática, cultura, arte e talvez até de economia, sabem escolher o que querem feito adultos decididos e cheio de verdades, mas não sabem, ou não foram ensinadas a cumprimentar o porteiro, ou não são capazes de olhar para o lado e enxergar que há muito mais "coisas" na vida do que elas mesmas. Sim acredito que é de pequenino que se mostra as mazelas e as alegria que existem nesse mundo, repito o que já falei em outro post: se não as conhecerem, como poderão transformá-las? Costumo dizer: nem melhor, nem pior, apenas tento educar meus filhos para que tenham olhos atentos e tenham a capacidade de se colocar nos lugar do outro. Chocar-se com o que estamos vendo não basta, é preciso voltar-se para dentro, furungar nossos conceitos e crenças, mexer naquela caixa com ranços e mofos, deixá-la arejar......... Só uma lufada de ar poderá nos tirar do abafamento em que estamos vivendo.
Costumamos contar os acontecimentos do mundo aos filhos, de forma lúdica e geralmente mais doce do que geralmente são, mostramos principalmente os bons exemplos, acreditamos que ali se aprende mais do que em qualquer outro canto, mas os fatos tristes precisam ser conhecidos, eles trazem aprendizado, principalmente do que não seguir como modelo. Nem tudo é azedume, temos tantas coisas boas acontecendo também, que elas se multipliquem se espalhem, crie ramificações por todos os terrenos, até aqueles que parecem inférteis a ela!
O que tenho pra lhes contar é isso: nossa semana tem sido assim................ de aprendizado.
Fizemos um monte de outras coisas, mas preferi lembrar da semana desse jeito: falando da origem das coisas, onde tudo nasce, tudo vem, tudo cresce, se fortalece ou acaba.





Eu não tenho a triste pretensão de ter resposta pra tudo, sou uma pessoa e mãe cheia de questionamentos e erro muito também. Meu filhos irão para o mundo, sei bem disso, espero, torço muito para que eles sejam elementos de transformação positiva, afetiva e emocional nesse mundo de meu Deus!






Grata pela escuta!