Saudade de Mim

Sim, é isso mesmo, tenho sentido saudade de mim.
Daquele meu jeito mais leve de levar a vida, com mais tempo para curtir aquilo que realmente amo, aquilo que realmente importa!
E como não posso me perder, estou atrás de mim, me procurando, me reconhecendo, me redescobrindo.
Preciso de mais tempo, e tenho. Ele está bem a minha frente, mas parece que não tenho sabido lidar com ele.
Muita coisa me espera: minhas ilustrações, minhas telas, exposições, meu jardim, meu pomar, "meu lado de fora" que mora aqui bem dentro de mim, mais convivência com a família e amigos, mais qualidade no tempo que tenho com meu amor, com minha casa, com meus cães e com projetos para um futuro bem próximo. Sem isso me perco, e já sabia disso, nem sei como me perdi.
Preciso sujar as mãos de tinta e de terra, preciso escutar o som do silêncio, preciso das cores dos meus lápis de cor.
Tenho trabalhado demais, mais do que eu deveria...
Amo meu trabalho como educadora, mas ele estava tomando proporções maiores do que posso suportar, e eu é que dei a ele estas dimensões, foi lindo, intenso, necessário, importante e transformador, porém se encerra aqui, se encerra num momento lindo, antes que deixe de ser do tamanho que é: enorme!!!
Tão grande que ecoará em mim por toda a vida, e sei que neles também.
Estou deixando um trabalho, mas não a causa e se ela um dia me chamar estarei lá.
Preciso me dedicar mais ao meu ofício de pintar, escrever, desenhar e criar.
Vinte anos trabalhando em Educação, dez deles na área da deficiência, estes os mais transformadores. Depois de ter trabalhado com pessoas com deficiência aprendi o quanto eles podem, o quanto eles produzem, o quanto eles são eficientes. recebi abraços que sentirei para o resto da vida, ganhei beijos que estarão aqui selados em mim, recebi e dei tanto amor que hoje sou melhor do que eu era, e isso devo também a eles, à equipe com que trabalhei, às pessoas que cruzaram meu caminho e fizeram parte da minha vida nesta missão, pessoas que estarão sempre presentes em mim!
Fiz amigos que ficarão para sempre naquele lugar que a gente guarda quem ama.
Sabe quando a alma pesa mais, por estar carregada de coisas boas, é bem assim que me sinto e é desta forma que quero sair, com a alma pesada, mas leve. E lhes digo que isso é possível: o peso ser leve, o peso do bem é assim. Preciso ir embora antes que os egos pesem mais do que tudo isso, antes que o amor deixe de ser.
Muito de mim ficará para sempre com eles e MUITO deles ficará para sempre em mim.
Tudo foi bom, até o que não foi.



Terei mais tempo para escrever no meu blog que tanto adoro e mais tempo para "conversar" com minhas amigas blogueiras, das quais tenho sentido muita saudade.


"Passava os dias ali, quieto, no meio das coisas miúdas.
E me encantei."

É este o resgate que preciso fazer, ficar entre coisas miúdas,  pois são as coisas miúdas que mais amo!


Um enorme beijo!