Direito



Confesso que não ia fazer nenhuma postagem hoje, mas...
Divido com vocês um fato que aconteceu comigo.
Fui ao Shopping (só pagar continhas, ahhhh!), ao me dirigir a porta de entrada, percebo que um senhor estaciona em uma vaga para deficiente, em uma das poucas que o estacionamento oferece. Reduzi o passo e observei que ele aparentemente não tinha nenhuma deficiência.
Com toda a educação lhe disse que ele não havia percebido, mas tinha estacionado em uma vaga para pessoas com deficiência, e já engatei a pergunta: O sr é deficiente?
Sabe o que ele me respondeu?
Não sou, mas posso ficar rapidinho, riu e começou a mancar.
Fiquei tão incomodada com tal atitude desprezível. Voltei até o carro do "cidadão", anotei a placa e fui num dos guichês de estacionamento. Expliquei o que tinha acontecido.
Sabe o que a atendente me respondeu?
Senhora, se eu for atrás de todas as pessoas que estacionam na vaga para deficientes e não são, vou ficar fazendo isso o dia inteiro.
Perguntei a ela: E se um deficiente chegasse e precisasse da vaga?
Ela me disse: Daí, eu não sei.
Virei as costas, paguei minhas contas, paguei o estacionamento, só o fiz pois não conseguiria sair dali sem o comprovante de tal pagamento.

"Não sou, mas fico rapidinho?"
"Daí, eu não sei?"

Que gente é essa que não sabe respeitar os direitos dos outros, que gente é essa que não se importa em defender tais direitos, sabendo que isso também faz parte do seu trabalho.
Ou não, estes guichês servem só para cobrar um serviço.
A questão é bem maior, estamos falando do direito de ir e vir de pessoas que pagam seus impostos, de pessoas que não têm a acessibilidade que deviam para frequentar um Teatro, um Cinema ou um Shopping.
Sei bem dessas angústias, pois trabalho em uma instituição para pessoas com deficiência e temos lá usuários de cadeira de rodas. São poucos os lugares que podem ir sem passarem por dificuldades e preconceitos.
Este senhor não tem a mínima noção do que é ter uma deficiência, espero sinceramente que ele nunca precise de uma vaga para este destino e se precisar, que ela esteja disponível.
Desculpa o desabafo, mas fiquei tão triste por perceber que ainda há pessoas que não têm consciência de que respeitando os direitos dos outros se constrói um lugar melhor para se viver.
Sei que muitas e muitas pessoas exercem sua cidadania com louvor.
Ainda bem, pois assim temos a esperança que as coisas melhorem!
PROMETO que o post de amanhã será bem doce!

Beijinhos e um lindo feriado, 
com todos os nossos direitos preservados!!!!!!

Rosane Castilhos