Ser

Essa ilustração surgiu de uma forma tão natural, sem pretensão de ser quadro, sem pretensão de ser livro, sem pretensão de ser poema...
Foi se formando no movimento das mãos e certo... do coração!
Naturalmente, sem pretensão de ser nada, sem pretensão até de ser.
E agora que já é, dela farei um...
Ainda não sei o que.
Mas sei que me fez gostar, me fez feliz, me fez PENSAR!
Me fez pensar se ainda sou criança, ou já cresci...
Esta tal "adultez" que me toma não me torna de fato adulta.
Acho que sou mais criança.
Ainda brinco muito, sonho muito, desenho muito, danço muito, erro muito,
canto muito, amo muito...
Criança é assim, se bem que alguns adultos que conheço também são!
Ora, que importância isso tem, adulta ou criança, seja o que for.
O que vale mesmo é ser NATURALMENTE o que se é!
Risos e lágrimas virão, sendo criança... ou não.




























O que vai ser quando crescer? 
Vivem perguntando em redor. 
O que é ser?
É ter um corpo, um jeito, um nome?
Tenho os três. E sou. 
Tenho de mudar quando crescer?
Usar outro nome, corpo e jeito?
Ou a gente só principia a ser quando cresce? 
É terrível, ser?
Dói?
É bom?
É triste?
Ser. Pronunciado tão depressa, e cabe tantas coisas.
Que vou ser quando crescer?  
Sou obrigado a?
Posso escolher?
Não dá para entender.
Não vou ser.
Vou crescer assim mesmo. 

                                Carlos Drummond de Andrade

Muito obrigada pelo enorme carinho que tenho recebido de todos, 
isso só me mostra que o Trésors existe por causa de vocês!!!!!
OBRIGADA
MERCI

Um lindo e fabuloso dia!!!!

Beijinhos


Rosane Castilhos